sábado, 19 de maio de 2007

Niassa (Moçambique)

NIASSA

É a maior e mais remota província de Moçambique, sendo também a mais despovoada. Possuidora de locais de rara beleza, é considerada a última selva
natural do mundo ou uma espécie de reminiscência do jardim de Éden africano; habitat de uma grande diversidade de espécies de fauna tropical numa paisagem equilibrada, bravia... um verdadeiro santuário de vida animal.

Está situada no extremo noroeste de Moçambique, é montanhosa e foi muito afectada pela Luta Armada de Libertação Nacional. Em língua chiNyanja, niassa significa lago.

Superfície: 122.176 km2
População
: 756.287 hab. (1997)
Densidade Populacional:
6 habs/ km2 (1997)
Capital:
Lichinga (população 85.758 (1997)). Localiza-se no planalto de Lichinga rodeado por extensas matas de verdejantes pinheiros e dista 2.800 km de Maputo.

Lichinga - Câmara Municipal


Limites
Norte:
Tanzânia
Sul: Nampula e Zambézia

Oeste: Lago Niassa e Malawi
Este: Cabo Delgado.

Etnias representativas: Macua; Ajaua; Nianja.
Principais produções: Algodão; Milho; Sorgo; Madeiras; Pedras semi-preciosas.
Cultura: A música é um componente muito importante na cultura tradicional das etnias desta província.
O instrumento tradicional mais frequente é sopro feito de cabaça oca e seca, furada com tal precisão que o som que dele emerge assemelha-se a um trompete. As orquestras destes instrumentos são formados por vários músicos tocando cabaças de diferentes tamanhos.


LAGO NIASSA

Lago das estrelas. Foi assim que Livingstone o baptizou em 1958 na sua terceira expedição à África. É o terceiro maior lago da África e um dos lugares mais bio-diversificados. As águas do Lago são transparentes e de cor turquesa que permitem aos mergulhadores explorar as suas profundezas e apreciar uma variada gama de peixes coloridos.

Lichinga - Vista para o lago Niassa

A margem do lago, espalha-se por entre formações rochosas e praias virgens com areias brancas e douradas, com encostas definhantes e margens rectilíneas. As praias do lago concentram em Meponda (41 Km de Lichinga), Metangula-Chuango (138 km de Lichinga) e Cobué (190 km de Lichinga).


Lichinga - Lago Niassa

A partir deste ponto, localizado a oriente, é possível vislumbrar a exuberância do pôr-do-sol africano, que permanece reflectido nas águas do lago, à medida que a noite vai caindo.
Para chagar ao Lago Niassa via terrestre, é conveniente um carro 4x4, devido aos últimos kilómetros da estrada que ainda precisam de ser reabilitados mas que proporcionam uma boa ocasião dum turismo de aventura ao longo da paisagem montanhosa que é pitoresca e inédita.


LICHINGA
Lichinga, Vila Cabral na era colonial, é a capital da Província do Niassa. Aqui vivem
75.000 dos 756.000 habitantes da Província. Pode-se chegar ao Lago através de Lichinga.


Lichinga - A caminho de Chuanga

A cidade está situada no planalto de Lichinga, que é parte do famoso sistema de "The Rift Valley" Africano que abrange Os Grandes Lagos Africanos e o declive que vai de Djibouti até ao lago Niassa. Lichinga, ladeada por plantações de pinheiros, fica à altitude de l,277m e oferece um clima agradável mesmo na altura mais quente do ano. Lichinga proporciona uma variedade de actividades recreativas através de teatro activo e grupos de dança e na maior parte dos fins de semana, o complexo de cinema acolhe concertos e competições de beleza.


CUAMBA
É uma cidade da província de Niassa. Antes da independência de Moçambique, esta cidade tinha o nome de Nova Freixo. A paisagem montanhosa que rodeia Cuamba é lindíssima e são as montanhas que constituem os "monumentos" de Cuamba a par das palhotas à sombra das acácias.
Cuamba - Montanha Mitucué

De acordo com o Censo de 1997, o distrito tem 126.380 habitantes e uma área de 5.345 km², daqui resultando uma densidade populacional de 30,1 h/km². A população é jovem (45% abaixo dos 15 anos), maioritariamente feminina e de matriz rural acentuada. A taxa de analfabetismo é elevada: 67%, maioritariamente mulheres. Encontra-se nesta cidade a Faculdade de Agronomia da Universidade Católica de Moçambique. A agricultura é a actividade dominante e envolve quase todos os agregados familiares. A agricultura é efectuada manualmente com base em pequenas explorações familiares em regime de consociação de culturas com base em variedades locais.


Rui


Texto - Adaptação de vários textos disponíveis na Internet em sítios diversos

Fotos - http://mocambique1.blogs.sapo.pt
(Excepto a última de origem desconhecida)

4 comentários:

Ana disse...

Que bela ideia Rui:) Pena tão ter dado para responder ao teu dasafio nestes dias que passaram...

Rui disse...

Ana, mais vale tarde que nunca ;-)
Tens andado "desaparecida"! (Já estou como a Fatimarques... lol ;-)
E a Fatimarques que falava que andavam todos desaparecidos, parece que foi ela que desapareceu mesmo... ;-)
Sejas bem (re)aparecida, Ana! :-)

Anonymous disse...

Ok!
"Ultima Selva natural do Mundo!?"
"Jardim do Eden Africano!?"
Humm! Humm!
"Santuario de vida Animal!?"

Verdadeiramente, acho isso publicidade... nao diria enganosa, mas com alguma falta de de conhecimento da materia!

zaiteve Eugenio disse...

cuamba e' uma cidade muito linda,com pessoas educadas simpaticas.adoro cuamba.

Enviar um comentário